Get Out, Jordan Peele, 2017

neste país

neste país os doidos terão sempre divertida audiência
se por mais nada porque não é
com compaixão que se enchem casas de saúde

às vezes é preciso reduzir o mundo a um só círculo de escuridão
e o que seria das nossas farmácias sem longas filas para a gota,
emagrecimento, falta de sono, doenças do coração,
peste e no fundo uma morte lenta que se agarra a tudo

é dentro de uma grande farmácia que uma velha juventude
ainda joga à bola, aos matraquilhos, ao pião
enquanto as mães hesitam entre prozac e xanax

que meninos de bibe aos trinta anos
ligam para a mãe para apurar o grau de concentração
necessário para que o óleo de fígado de bacalhau
garanta um desenvolvimento são

na educação do português
de geração em geração é este o único garante vital
de que este país crescerá forte e sadio

aqui e agora
não acredito que o país do puro pássaro seja possível
ainda que este ano a operação de ouvir o hino nacional
em estádios por toda a frança
chegue para encher de vontade a quase totalidade
de uma classe média
numa considerável porção ainda colonial e racista
que povoa os cafés de ruas
aonde o meu fantasma há-de voltar
e não será para viver todos os momentos
que não viveu junto do mar
nem tão só para repetir a carta aos meus filhos
sobre os fuzilamentos de goya porque essa seria
uma esperança que lhe sairia demasiado cara

como é que eu posso saber
no meio deste inferno periférico
hipotecado a setenta anos
democraticamente manso
e de fraca consciência histórica
que mundo será o vosso meus filhos
nascida de pais portugueses em portugal
os meus filhos nascerão talvez ingleses
liberais de esquerda, leitores de platão,
perfeitamente bilingues, cidadãos do mundo
e até nisso serão mais portugueses do que eu

e é possível que este seja o acto de demagogia que me reste
uma demagogia pobre e zangada tão à portuguesa
que não mata mas mói e portanto pode e deve ser
abraçada em quartos cor-de-rosa por um exército
de meninas vestidas com camisolas do benfica
não tanto porque lhes interesse o futebol mas para
não matar o diálogo intelectual com o namorado

educadas quase só na arte de habitar
a solidão de uma cozinha
onde homem que é homem não entra
e abençoadas pelo fado católico que ainda se escoa
dos rádios dos melhores taxistas da nação

e um poeta com menos discernimento
neste país tão europeu que se enche
de painéis de publicidade em inglês
como selvas se enchem de vegetação
e certos quadros da renascença italiana
se enchem de cabeças cortadas

alinharia aqui os três Fs e concluiria
que não tem sido fácil calcular a distância certa
que nos pode salvar do orgulho de estar sós

sem grande artifício há no coração desta
bela cidade uma enorme praça de touros
a ternura desarmante e sem dentes
de todos os empregados de mesa
um falo gigante num dos parques principais
a única luz que será cuidadosamente preservada
porque esta é a que chega para combater a dor, a tristeza
e a ruína esfomeada de tudo o que cresce ou não cresce à volta

e o poeta que esta noite fechar a sua janela sobre o tejo
sabe que só é preciso fechar os olhos a metade
ou mesmo olhar para tudo com um olho a menos
para poder continuar a amar em paz o resto


Tatiana Faia

se eu fosse um vídeo

minha fantasma

hoje a vizinha deu-me nos nervos. a campainha tocou um milhão de vezes.
não atendeu nenhuma.
que tipo de gente não atende um sinal tão insistente e urgente?
sei que ela estava lá. o crec-crec da rede e campainha todo o dia numa sinfonia de loucos.
lembro agora que também não atendo ninguém.
não sei porquê minha fantasma.


Nina Rizzi

sirens of jupiter*

© Eylül Aslan
*The Olympians

on being asked for an animal poem

Eu nunca tinha ouvido direito o arrulho dos pombos urbanos. Criaturas arredias, costumamos manter uma distância respeitosa em locais públicos. Mas eles encontraram um recesso nas colunas do prédio, ao lado da janela do quarto, para descansar. E eu enfim pude prestar atenção.
Há gru-grus curtos, rotineiros, de sala de estar. Uns grus mais longos, como perguntas. Há duetos de gru-gru-guaque-guaques desafiantes quando outros pombos pousam no esconderijo. E uns lamentos que duram vários segundos, sobretudo ao amanhecer. Eu não sabia que pombos uivavam.
Não li a respeito de sua gramática. Não me ajudaria a entender muita coisa; aprenderia, por exemplo, que um gru-u como o das corujas pode ser sinal de problemas cardíacos, mas jamais chegaria ao inescrutável coração do pombo.
De qualquer modo, fiquei com os arrulhos na cabeça. Decidi fazer um cocar. Falei com P. a respeito. Abri a janela e procurei penas grandes, como vemos nos cálamos de antigamente ou nas fotos de banco de imagem. Mas só havia penas pequenininhas. Acho que se sentem confortáveis ali.
Vim para a serra com os pombos na cabeça, pensando no que significaria fazer um cocar, desses que podemos de fato colocar na cabeça. Se eu vestisse um cocar de pombos e publicasse nas redes sociais. Nas minhas habilidades de artesão. No poema "Um boi vê os homens" do Drummond. Na impossibilidade de ser pombo para além dos exercícios de ator e das filosofias francesas. P. ficou na capital. Decidi deixar o devir para os filósofos que envelheceram sem maldade.
Um dia ela tropeçou na cornucópia. A cada esquina, uma pena de pombo, duas, penas enormes, cor de asfalto, que ela foi colecionando para mim. Encontrei uma caminhando nas montanhas, onde quase não há pombos, mas a perdi. As penas se davam a ela e somente a ela. Hoje, quando estamos andando pela cidade, ainda encontramos várias penas, o que não deixa de ser bem esquisito.


Victor Heringer
The Girl on the Train, Tate Taylor, 2016

PREVISÕES PARA 2017

CÂNCER 
(22/06–23/07)

Amor

Um bom conselho acerta em cheio o peito, mas um velho presságio acerta entre os olhos.
Coloque um chicote na sua bolsa.

Trabalho

As ações não vêm sempre do pensamento, assim como as palavras não vêm sempre do pensamento, assim como progredir não significa andar para frente, a repetição nunca existiu. Não subestime suas mãos, deixe elas empurrarem. Não force, cuide de suas ideias, raspe.


Saúde

Sua cabeça bate numa cabeça invisível na bruma.
Passe creme. Não aumente sua casa.
Você não desperdiçou o dia, nem a noite.
Você pode se manter no ar.
Tente uma corda.
Não se preocupe.
Você vai ter a pele renovada.


Laura Vazquez & Arno Calleja

se eu fosse um vídeo

tell me

Tell me Mr. Death
Date, Time, Place.
I have to look for my
Life-of-sin panties,
Make an appointment
For a pedicure.


Eunice de Souza

dancing anymore*

© Peter van Agtmael
*Is Tropical

os vermes

os
vermes
nascem
dos nossos
buracos
os vermes
lambem
nossos
ofícios
dançam
com seus
corpos
desengonçados
mordiscam
a carne
dos entes
malditos e
queridos

os
vermes
possuem
vários
bailados
às vezes
de terno e
gravata
caneta
dourada
de toga
ou coturnos
há vermes
que posam
ostentando
insígnias
e distintivos

os
vermes
também
são seres
queridos
mastigam
da merda
o que lhes
mantem
vivos
sem fastio
degustam
cartilagens
e celuloses
nas estantes
de livros
ou nas gavetas
de corpos
os vermes
telúricos
são todos
destinos

os
vermes
infligem
na dureza
dos versos
que pele
e firulas
músculos
e diabruras
são belezas
vãs
os vermes
sustentam
o descascar
vertigens
descamam
nervo a nervo
o linguajar
dos ermos
deixando
no poeta
e no poema
o que o tempo
lhe deseja
- os ossos
que lhe
proteja
a eloquência
dos ossos
aqui esteja


Philippe Wollney

la femme chanceuse

Le clitoris, Lori Malépart-Traversy, 2016

breakable

(...)

E tenho ternura cantável:
Um cântaro a transbordar
Para alguém ruir e quebrar.


Rui Lage

se eu fosse um vídeo

uma delícia

Que amor que encanto faça favor

Ah pois a emancipação é um
chazinho-de-quinta-feira-à-tarde
Todas trazem qualquer coisa para mastigar

Sirva-se sinto-me tão livre por quem é por quem é

O seu marido minha querida não deve beijar
pior que o seu cão Labrador

Não obrigada a linha sabe como é

O que aqui falta é um poeta a invocar o amor
Mas os mosquitos os mosquitos que horror

Minha distinta querida caríssima amiga

Senhora Doutora faça favor
Eu leio-a eu gramo-a eu gabo-a eu mimo-a eu lambo-
-me toda por poemas seus com um chazinho biscoitos?

Obrigadinho


Ulla Hahn, A sede entre os limites, versão de João Barrento

poemário daqui

A. M. Pires Cabral Abel Neves Adília Lopes Adolfo Casais Monteiro Agustina Bessa-Luís Al Berto Albano Martins Alberto Pimenta Alexandra Malheiro Alexandre Nave Alexandre O'Neill Alice Turvo Alice Vieira Almada Negreiros Ana C. Ana Caeiro Ana Cristina César Ana Duarte Ana Hatherly Ana Luísa Amaral Ana Marques Gastão Ana Paula Inácio Ana Salomé Ana Tinoco André Tomé Andreia C. Faria Angélica Freitas Ângelo de Lima Aníbal Fernandes António Botto António Dacosta António Franco Alexandre António Gancho António Gedeão António Gregório António José Forte António Manuel Pires Cabral António Maria Lisboa António Mega Ferreira António Osório António Pedro António Quadros Ferro António Ramos Pereira António Ramos Rosa António Rebordão Navarro António Reis António S. Ribeiro Armando Baptista-Bastos Armando Silva Carvalho Artur do Cruzeiro Seixas Bénédicte Houart Bruno Béu Bruno Sousa Villar Camilo Castelo Branco Carlos Alberto Machado Carlos de Oliveira Carlos Eurico da Costa Carlos Mota de Oliveira Carlos Soares Casimiro de Brito Catarina Nunes de Almeida Cesário Verde Cláudia R. Sampaio Cruzeiro Seixas Daniel Faria Daniel Filipe David Mourão-Ferreira David Teles Pereira Delfim Lopes Dulce Maria Cardoso Eastwood da Silva Egito Gonçalves Ernesto Sampaio Eugénio de Andrade Eugénio Lisboa Fernando Assis Pacheco Fernando Esteves Pinto Fernando Lemos Fernando Pessoa Fernando Pinto do Amaral Fiama Hasse Pais Brandão Filipa Leal Filipe Homem Fonseca Florbela Espanca Frederico Pedreira gil t. sousa Golgona Anghel Gonçalo M. Tavares Helder Moura Pereira Helena Carvalho Helga Moreira Hélia Correia Henrique Manuel Bento Fialho Henrique Risques Pereira Herberto Hélder Inês Dias Inês Fonseca Santos Inês Lourenço Isabel Meyrelles Joana Serrado João Almeida João Bénard da Costa João Cabral de Melo Neto João Camilo João Damasceno João Ferreira Oliveira João Habitualmente João Luís Barreto Guimarães João Manuel Ribeiro João Pacheco João Pereira Coutinho João Rodrigues João Vasco Coelho Joaquim Manuel Magalhães Joaquim Pessoa Jorge de Sena Jorge Gomes Miranda Jorge Melícias Jorge Roque Jorge Sousa Braga José Agostinho Baptista José Alberto Oliveira José Amaro Dionísio José António Franco José Cardoso Pires José Carlos Barros José Carlos Soares José Efe José Gomes Ferreira José Manuel de Vasconcelos José Mário Silva José Miguel Silva José Ricardo Nunes José Rui Teixeira José Saramago José Sebag José Tolentino Mendonça Judith Teixeira Leitão de Barros Luís Miguel Nava Luís Quintais Luiza Neto Jorge Mafalda Gomes Manuel A. Domingos Manuel António Pina Manuel Cintra Manuel da Silva Ramos Manuel de Castro Manuel de Freitas Manuel Fúria Manuel Gusmão Marcelino Vespeira Margarida Vale de Gato Maria Ângela Alvim Maria Azenha Maria do Rosário Pedreira Maria Gabriela Llansol Maria João Lopes Fernandes Maria Judite de Carvalho Maria Keil Maria Sousa Maria Teresa Horta Maria Velho da Costa Mário Cesariny Mário Contumélias Mário de Sá-Carneiro Mário Quintana Mário Rui de Oliveira Mário-Henrique Leiria Marta Chaves Matilde Campilho Miguel Cardoso Miguel Martins Miguel Sousa Tavares Miguel Torga Miguel-Manso Nuno Araújo Nuno Bragança Nuno Júdice Nuno Moura Nuno Ramos Nuno Travanca Paulo José Miranda Pedro Jordão Pedro Mexia Pedro Oom Pedro Santo Tirso Pedro Sena-Lino Pedro Tamen Piedade Araujo Sol Raquel Nobre Guerra Raul de Carvalho Regina Guimarães Reinaldo Ferreira Renata Correia Botelho Ricardo Adolfo Rosa Alice Branco Rui Almeida Rui Baião Rui Caeiro Rui Cóias Rui Costa Rui Knopfli Rui Manuel Amaral Rui Nunes Rui Pedro Gonçalves Rui Pires Cabral Rute Mota Ruy Belo Ruy Cinatti Ruy Ventura Samuel Úria Sandra Costa Sebastião Alba Sílvio Mendes Soares de Passos Sofia Crespo Sofia Leal Sophia de Mello Breyner Andresen Teixeira de Pascoaes Teresa Balté Tiago Gomes valter hugo mãe Vasco Gato Vasco Graça Moura Vítor Nogueira Yvette K. Centeno

poemário dali

A. E. Housman Abbas Kiarostami Abel Feu Adélia Prado Adília Lopes Adrienne Rich Agota Kristof Al Purdy Alberto Tugues Alda Merini Aldous Huxley Alejandra Pizarnik Alejandro Jodorowsky Alexander Demidov Alice Walker Amalia Bautista Amiri Baraka Amy Lowell Amy M. Homes Ana Merino André Breton Angela Carter Anis Mojgani Anna Akhmatova Anna Kamienska Anne Carson Anne Perrier Anne Sexton Antonia Pozzi Antonin Artaud Antonio Gamoneda Antonio Orihuela Antonio Pérez Morte Antonio Sáez Delgado Arnold Lobel Arseny Tarkovsky Arthur Rimbaud Benjamín Prado Bernard-Marie Koltès Boris Vian Brett Elizabeth Jenkins Brian Andreas Carl Sandburg Carlos Drummond de Andrade Carlos Edmundo de Ory Carlos Marzal Carmen Gloria Berríos Carol Ann Duffy Cecília Meireles Cesare Pavese Charles Baudelaire Charles Bukowski Charles Dana Gibson Charles M. Schulz Chen Bolan Clarice Lispector Constantino Cavafy Czesław Miłosz Damien Sevhac Daniel Francoy Daniel Pennac Daphne Gottlieb David Bowie David Lagmanovich David Lehman Delia Brown Delmore Schwarts Derek Walcott Derrick Brown Diamanda Galás Diane Ackerman Djuna Barnes Don Herold Dorianne Laux Dorothea Lasky Dorothy Parker Douglas Huebler Dylan Thomas E. E. Cummings E. M. Cioran Edgar Allan Poe Edna O'Brien Eduarda Chiote Eeva-Liisa Manner Egito Gonçalves Eleanor Farjeon Elie Wiesel Elis Regina Elizabeth Bishop Elizabeth Ross Taylor Else Lasker-Schuler Emily Dickinson Emily Kagan Trenchard Erin Dorsey Fabiano Calixto Federico Díaz-Granados Federico García Lorca Félix Grande Fernando Arrabal Fernando Caio de Abreu Fernando Gandra Ferreira Gular Forough Farrokhzad Frank O'Hara Frederico Pedreira G. K. Chesterton Gabriel Celaya Georges Bataille Gerrit Komrij Giovanny Gómez Glória Gervitz Gottfried Benn Günter Kunert Gustavo Ortiz H. P. Lovecraft Hal Sirowitz Hans-Ulrich Treichel Harold Pinter Harvey Shapiro Heinrich Heine Helen Mort Henry Rollins Hermann Hesse Hilda Hilst Hilde Domin Hoa Nguyen Hugh Mackay Hugo von Hofmannsthal Hugo Williams Ingeborg Bachmann Isabel Meyrelles Isabelle McNeill J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jacques Lacan Jacques Prévert James L. White James Rogers James Tate Janet Frame Jean Baudrillard Jean Day Jeanette Winterson Jenny Joseph Jenny Schecter Jesús Llorente Joan Julier Buck Joan Margarit Jodi Picoult Johann Wolfgang Goethe John Ashbery John Giorno John Keats John Mateer John Updike Jonathan Littell Jonathan Safran Foer Jonathan Swift Jorge Amado Jorge Luis Borges José Eduardo Agualusa José Gardeazabal José Mateos Joseph Brodsky Joseph Cervavolo József Attila Juan José Millás Juan Ramón Jimenez Judith Herzberg Junko Takahashi Katerina Angheláki-Rooke Kendra Grant Kenneth Traynor Kosntandinos Kavafis Kristina H. Langston Hughes Larissa Szporluk Lauren Mendinueta Laurie Anderson Lawrence Ferlinghetti Lêdo Ivo Leila Miccolis Leonard Cohen Leonardo Chioda Leonardo Da Vinci Leopoldo María Panero Lewis Carroll Lígia Reyes Lord Byron Lou Andreas-Salomé Lou Reed Louis Aragon Louis Buisseret Lourdes Espínola Lucía Estrada Luis Alberto de Cuenca Luís Filipe Parrado Malcolm Lowry Manoel de Barros Manuel Arana Marco Mackaaij Margaret Atwood María Sánchez Mariano Peyrou Marin Sorescu Martha Carolina Dávila Martin Amis Mary Elizabeth Frye Mary Jo Salter Mary Oliver Mary Ruefle Medlar Lucan & Durian Gray Mia Couto Michael Drayton Michel Houellebecq Miguel de Cervantes Miriam Reyes Mitch Albom Morgan Parker Muriel Rukeyser Natsume Soseki Neil Gaiman Nichita Stanescu Nicole Blackman Octavio Paz Olga Orozco Osho Otávio Campos Pablo García Casado Pablo Neruda Pat Boran Patricia Beer Patti Smith Paul Eluard Paul Éluard Paul Géraldy Paul Theroux Paulo Leminski Pentti Saaritsa Per Aage Brandt Pere Gimferrer Philip Larkin Philip Roth Pia Tafdrup Pierre Reverdy Piotr Sommer Rafael Alberti Rainer Maria Rilke Ramón Gómez de la Serna Raymond Carver Raymond Queneau Reiner Kunze Richard Brautigan Richard Burton Robert Creeley Robert Frost Roberto Fernández Retamar Roberto Juarroz Roger Wolfe Rosemarie Urquico Rubens Borba de Moraes Rudyard Kipling Russell Edson Ruth Stone Salman Rushdie Sam Shepard Samuel Beckett Sandro Penna Santiago Nazarian Serge Gainsbourg Sharon Olds Shel Silverstein Silvia Chueire Silvia Ugidos Simone de Beauvoir Somerset Maugham Stephen Crane Stephen Wright Steve Mccaffery Stevie Smith Stuart Dischell Sue Goyette Susana Cabuchi Sylvia Plath T. S. Eliot Tanya Davis Tati Bernard Tatianna Rei Moonshadow Tennessee Williams Tilly Strauss Tom Baker Tom Waits Ulla Hahn Valentine de Saint-Point Vincenzo Cardarelli Vinicius de Moraes Vladimir Nabokov W. H. Auden Warsan Shire William Blake William Butler Yeats William Carlos Williams William Shakespeare Winnie Meisler Winona Baker Wislawa Szymborska Yehuda Amichai Yohji Yamamoto Yoko Ono Yorgos Seferis Zee Avi

livraria

. A Sul de Nenhum Norte . . Granta . Al Berto . Alexandre O'Neill . Algernon Blackwood . Ali Smith . Alice Munro . Alice Turvo . Almanaque do Dr. Thackery . Anaïs Nin . Anita Brookner . Ann Beattie . Annemarie Schwarzenbach . Anton Tchekhov . António Ferra . António Lobo Antunes . Arthur Miller . Boris Vian . Bret Easton Ellis . Carlos de Oliveira . Carson McCullers . Charles Bukowski . Chuck Palahniuk . Clarice Lispector . Conde de Lautréamont . Cormac McCarthy . Cristiane Lisbôa . Donald Barthelme . Doris Lessing . Dulce Maria Cardoso . Edith Wharton . Eileen Chang . Elena Ferrante . Enrique Vila-Matas . Erasmo de Roterdão . Ernest Hemingway . Ernesto Sampaio . F. Scott Fitzgerald . Fernando Pessoa . Flannery O'Connor . Florbela Espanca . Françoise Sagan . Franz Kafka . Frida Kahlo . Gabriel García Márquez . Gonçalo M. Tavares . Graça Pina de Morais . Gustave Flaubert . Guy de Maupassant . Harold Pinter . Haruki Murakami . Henri Michaux . Herberto Hélder . Hunter S. Thompson . Irene Lisboa . Irène Némirovsky . Italo Calvino . J. D. Salinger . Jack Kerouac . James Joyce . Jean Cocteau . Jean Genet . Jean Meckert . Jean-Paul Sartre . Jeffrey Eugenides . Jim Cartwright . Joan Didion . John Cheever . José Jorge Letria . José Saramago . Josep Pla . Julian Barnes . Julio Cortázar . Karen Blixen . Kate Chopin . Katherine Mansfield . Kurt Vonnegut . Lázaro Covadlo . Lillian Hellman . Luís de Sttau Monteiro . Luís Miguel Nava . Luiz Pacheco . Lydia Davis . Lygia Fagundes Telles . Malcolm Lowry . Manuel Hermínio Monteiro . Manuel Jorge Marmelo . Marcel Proust . Margaret Atwood . Marguerite Duras . Marguerite Yourcenar . Mário C. Brum . Mário-Henrique Leiria . Mark Lindquist . Marquis de Sade . Max Aub . Miguel Castro Henriques . Miguel Esteves Cardoso . Miguel Martins . Milan Kundera . Neil Gaiman . Nick Cave . Norman Rush . Orhan Pamuk . Oscar Wilde . Paul Auster . Paulo Rodrigues Ferreira . Pedro Mexia . Penelope Fitzgerald . Pierre Louÿs . Rainer Maria Rilke . Rainer Werner Fassbinder . Raul Brandão . Ray Bradbury . Rebecca West . Regina Guimarães . Richard Yates . Roland Topor . Rolf Dieter Brinkmann . Rui Nunes . S. E. Hinton . Sam Shepard . Samuel Beckett . Sarah Kane . Shirley Jackson . Stig Dagerman . Susan Sontag . Susana Moreira Marques . Sylvia Plath . Tennessee Williams . Teresa Veiga . Tom Baker . Truman Capote . valter hugo mãe . Vasco Gato . Vera Lagoa . Vergílio Ferreira . Virginia Woolf . Vladimir Nabokov . William Faulkner . Woody Allen . Yasunari Kawabata . Yukio Mishima .
page visitor counter

mariaravascosoares@gmail.com